quinta-feira, 31 de maio de 2012

Curso de Sustentabilidade Urbana em Taubaté (SP)


Data: 02 e 03 de Junho
Horário: Das 08h00 do dia 02/06 às 18h00 do dia 03/06

Temas abordados:
- Permacultura
- Sustentabilidade
- Resíduos Sólidos
- Paisagismo empírico (fazer com o que se tem na mão)

Programação 

Sábado

08:00 - Recepção e café da manhã
09:00 - Parte teórica
10:00 - Parte Prática
12:00 - Almoço
13:30 - Parte prática (continuação)
17:30 - Espaço para outras atividades (yoga, meditação)
18:30 - Banho
19:00 - Jantar
21:00 - Fogueira
23:00 - Encerramento das atividades

Domingo

07:00 - Práticas do corpo (yoga, meditação)
08:00 - Café da manhã
09:00 - Parte prática (finalização dos processos)
13:00 - Almoço
14:00 - Encerramento do curso (entrega do certificado)
16:00 - Encerramento geral

Outras atividades:
- Yoga
- Meditação
- Fogueira
- Música e danças.

Investimento : R$150,00 (inclui refeição, espaço para hospedagem e certificado)

Facilitador: Deto França - Permacultor e Paisagista

Informações: (12)8163-1244 / (12)7812-9497 ID: 90*6341 / (12)9125-7598

Para acessar a página do evento no Facebook, clique aqui!


terça-feira, 29 de maio de 2012

Projeto de permacultura urbana integra programação da Virada Sustentável


Acontece, no próximo fim de semana, dias 2 e 3 de junho, a segunda edição da Virada Sustentável. A proposta é oferecer atividades gratuitas voltadas à temática sócio-ambiental na capital e região metropolitana de São Paulo. A novidade deste ano é a inclusão oficial da programação zen. Dentre as demais atividades oferecidas, destaque para a participação do projeto PermaCasa Vila Viva. A iniciativa surgiu com o intuito de tornar uma casa de vila no tradicional bairro da Mooca um laboratório multiplicador de práticas sustentáveis na cidade, com base nos princípios da permacultura. Conheça as atividades oferecidas pela PermaCasa nessa Virada Sustentável:

Para ter acesso à programação completa da Virada Sustentável, clique aqui!


Confira o trabalho feito na Permacasa Vila Viva neste vídeo:
Curta a página da PermaCasa no Facebook!



segunda-feira, 21 de maio de 2012

Módulo III do "2º Programa de Bioconstrução" do Instituto Acel acontece neste fim de semana


Programação:


Sábado

06:00 - Práticas de corpo (yoga, tai-chi, ministradas por voluntários, atividade a parte do curso)
07:00 - Café da Manhã
08:00 - Parte prática (pau a pique e Taipa de pilão, simultaneamente a execução das duas técnicas, praticando revezamento entre os participantes)
12:00 - Almoço
13:30 - Parte teórica (retomada das atividades pela manhã, introdução a permacultura, posicionamento do grupo)
14:30 - Parte Prática (continuação)
17:30 - Espaço para banho, e relaxamento
18:30 - Jantar
19:00 - Celebração, 10ª vivência e aniversário Mestre Biscuit.
21:00 - Apresentação da banda: Fuá Rabecado, Musica regional do Vale do Paraíba.
00:00 - Encerramento das atividades

Domingo
08:00 - Café da manhã
09:00 - Parte prática (finalização dos processos)
13:00 - Almoço
14:00 - Encerramento do curso

Obs.: A recepção dos participantes se iniciará a partir das 19h00 da sexta feira para facilitar a integração da equipe.

O valor da inscrição é de R$110,00 (sendo 100 reais para cobrir os custos do curso e o 10 restantes para contribuir com a festa que acontecerá na noite de sábado).
A organização informa que as oito vagas do alojamento serão ocupadas conforme a ordem de inscrição. Para os demais participantes, será disponibilizada área de camping.


Contato: institutoacel@gmail.com
(12) 3948 2638/(12)3948 110/(12) 9777 4460


Conheça a página do Instituto Acel no Facebook clicando aqui
Para obter maiores detalhes, você também pode visitar a página do evento!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

"Ecoetrix" promove Curso de Design em Permacultura (PDC) em São Thomé das Letras (MG)

Para saber mais sobre o curso, clique aqui!

Conheça o trabalho do permacultor ministrante do PDC,  Marcos Ninguém, em seu site. É só acessar esse link!

Confira também:



Mutirão ecológico na zona oeste de SP neste sábado


quinta-feira, 17 de maio de 2012

domingo, 13 de maio de 2012

Crescimento do "VETA DILMA" faz agronegócio lançar campanha pelo enfraquecimento do Código Florestal


O VETA DILMA está assustando a quadrilha da motoserra. Os ruralistas até criaram um "contra-movimento". Recebi um e-mail com o banner da campanha. Cheio de argumentos vazios e de desconstrução rápida.




Confira o banner usado para propagar as falácias pró-novo Código.

Eles dizem que o preço da comida vai subir e podemos sofrer desabastecimento. Mas 70% dos alimentos que consumimos advém da agricultura familiar, cujas entidades representativas já se manifestaram contra o Novo Código. Afinal, quem está na labuta diária e conhece o campo como a palma de sua mão sabe que preservar as florestas/matas ciliares e o solo é fundamental para garantir sua principal fonte de rendimento.
O "Não Veta Dilma" propala que os alimentos deixaram de comprometer 40% da nossa renda e hoje correspondem à 16%. Esqueceram de dizer que isso se deve à famigerada revolução verde, que inundou o campo com veneno e fertilizantes químicos e intensificou o êxodo rural e a precarização das condições do trabalho campesino.
Além disso, os ruralistas com sua mobilização pautada exclusivamente no interesse privado fazem questão de bradar: preservaram 61% das nossas matas nativas. Oras, esse fato realmente é motivo de "orgulho": o Brasil é recordista mundial em devastação florestal!
Por fim, os vilões das florestas destacam: "Vetar o Código é vetar a nossa produção de comida. Vetar o Código é vetar a qualidade de vida que o brasileiro conquistou nas últimas décadas". Na verdade, poderia estar escrito de inúmeras maneiras: vetar o código é vetar a produção de soja para alimentar o gado que vive em áreas protegidas por lei. Vetar o código é vetar a perpetuação do Brasil na liderança do ranking de consumidores de agrovenenos. É não retroceder na proteção da nossa biodiversidade. Vetar o Código é dizer não à preponderância de interesses privados ao interesse público. É provar que a produtividade econômica não suprime a improdutividade social do latifúndio. É dizer não ao avanço das monoculturas de exportação e da pecuária sobre as áreas de preservação. É abrir caminhos para que possamos transcender o padrão desenvolvimentista arraigado no agronegócio. Vetar o código é dar sinais de que o Brasil está despertando para a necessidade de estabelecer sociedades sustentáveis, com justiça social e ambiental.

VETA TUDO DILMA!

Compareça à manifestação programada pela Fundação SOS Mata Atlântica para o próximo dia 20 no "Viva a Mata" em São Paulo:


Se você ainda não assinou as petições contra o Novo Código Florestal, clique aqui!

terça-feira, 8 de maio de 2012

Oficina de Mandalas em São Thomé das Letras (MG)

Para saber detalhes, acesse o blog do Parquescola ECOETRIX clicando aqui!