terça-feira, 21 de junho de 2011

Da contracultura à Cultura Permanente

Década de 70. O canto rouco de Janis e a hipnótica guitarra de Hendrix extasiam grande parte da juventude. Essa juventude, por sua vez, diz não ao "american way of life" e se desnuda de corpos e preconceitos para erguer a bandeira da liberdade. No Brasil, "raul-seixistas" bradam um grande "viva à sociedade alternativa." Em busca desse altermundo, no ápice dos movimentos contraculturais, dois jovens habitantes do outro lado do planeta decidem "caminhar contra o vento, sem lenço, sem documento." Formava-se o embrião do que viria a ser uma experiência visionária que resultaria na sistematização de um conhecimento não tão difuso quanto deveria, mas de expressiva importância para o ambientalismo: a Permacultura.
A palavra Permacultura tem sua raiz na Agricultura Permanente e foi publicada pela primeira vez no livro Permacultura Um (1978). Porém, nos dias de hoje, esse conceito foi ampliado e concerne a uma cultura permanente. Tudo começou quando o australiano Bill Mollison resolveu se mudar para uma propriedade e cultivá-la sem dinheiro algum. A ideia era lançar mão dos recursos locais para viver em plena integração com a natureza. Ao lado de David Holmgren, Mollison focou suas atividades, a princípio, na produção agrícola. Posteriormente, a dupla abriu o leque de experimentações para buscar alternativas sustentáveis, trabalhando com energias renováveis e bioconstrução, entre outros. 
A Permacultura tem sua própria ética, baseada no cuidado com a terra, com as pessoas e a partilha dos excedentes aliada aos limites ao consumo e à reprodução. Sua filosofia parte do preceito do trabalho com e a favor da natureza. Por se tratar de um planejamento integrado ao meio ambiente, também possui princípios de Design, como, por exemplo: responsabilidade pelas gerações futuras, cooperação, integração e reciclagem de energia.
A prática permacultural resgata conhecimentos regionais e/ou tradicionais para criar ambientes sustentáveis. Além disso, por ser uma ciência holística, ou seja, trabalhar a ecologia em todas as suas dimensões, a Permacultura pode ter seus conhecimentos aplicados em diversas áreas do conhecimento. Talvez o seu maior avanço parta de uma simples atitude: a observação da natureza. Os princípios permaculturais são a reprodução do que acontece na meio ambiente. Por meio dessa reflexão, foi possível desenvolver a sabedoria capaz de prover uma cultura permanente a fim de suprir as demandas locais.
Há cursos livres sobre Permacultura oferecidos principalmente nas comunidades e instituições que a praticam. A formação básica de um permacultor é O PDC (Curso Certificado de Design em Pemacultura, em português) que segue normativas reconhecidas internacionalmente. No entanto, embora o currículo siga um determinado padrão, o conteúdo é flexibilizado e ínfluenciado pelo local e por quem o PDC é ministrado.

Quer saber mais? Acesse:

E que tal descobrir mais sobre a Permacultura entrando em contato com quem a vivencia? Então, é só se cadastrar na Permacultura Social Brasileira: uma teia de relacionamentos dedicada à busca de uma vida sustentável!

4 comentários:

Peter Cordenonsi disse...

Ótimo texto sobre permacultura!
Estou realizando o projeto a DesRevolução que tem a permacultura como norte com a intenção de semear cada vez mais esta ideia.
Para saber mais sobre o projeto, visite a página do filme:
https://www.facebook.com/desrevolucao
Gratidão!
Peter Cordenonsi

Pâmela Belliato disse...

Peter, fico feliz por ter gostado!
Já curti a página no face. Aliás, é muito importante que a permacultura seja difundida, pois muitas pessoas creem num mito que foi construído midiática e sutilmente de que ser sustentável custa caro, afinal, o capital vende suas tecnologias, não é?
Gratidão!
Na conexão!

Peter Cordenonsi disse...

Legal Pâmela!
Estamos juntos para semear a permacultura e com isso fazer nossa parte para um mundo melhor.
E a mudança começa dentro de nós mesmos!
Peço sua ajuda para divulgar o projeto, pois estou fazendo sozinho e quanto mais gente se juntar a ele, mais possibilidades ele vai ter.
Você viu o filme anterior, Desenho 1 - Aldea Feliz
https://vimeo.com/48641030

Gratidão!

Pâmela Belliato disse...

Concordo, Peter! Vou ver o vídeo. Gratidão!

Postar um comentário